O primeiro ato nas telenovelas

O que faz de uma telenovela um grande sucesso – até mesmo quando é reprisada? Certamente, essa é uma questão cada vez mais perguntada a grandes novelistas e, talvez, menos respondida. Os tempos mudaram, os noveleiros já não são mais os mesmos e são menos, do que foram no passado. As séries da tevê fechada, o Netflix, a vida agitada nas grandes metrópoles, o trânsito, a carga horária de trabalho estendida... Tudo atua para ser um antagonista da velha audiência da telenovela.

Com todos os obstáculos, entretanto, a novela persiste no protagonismo como o principal produto de entretenimento brasileiro. E não é preciso recorrer ao passado para confirmar. De tempos em tempos surge um grande fenômeno, uma Avenida Brasil, para estacionar o controle remoto do brasileiro na TV Globo.


Avenida Brasil, em 2012, foi o último grande sucesso do horário das nove. Em 2004 só se falava em Senhora do Destino, com mais de 50 pontos na média de audiência. Recentemente, Império veio com a responsabilidade de reerguer a audiência do horário nobre, e tem se saído bem. E já que falamos de grandes sucessos, Rei do Gado foi a novela escolhida para, mais uma vez, ser reprisada e tem esquentado o horário da tarde.

O que essas 4 novelas têm em comum? Além do sucesso, Avenida Brasil e Senhora do Destino tiveram duas grandes vilãs – Carminha e Nazaré. Rei do Gado e Império, por suas vezes, trazem ótimos protagonistas em Bruno Mezenga e no Comendador José Alfredo. Mocinhos ou vilões, boa parte da qualidade atribuída a esses personagens é construída logo no início – no primeiro ato da novela.

Uma das formas mais conhecidas de estruturação de uma história, principalmente no cinema, é a estrutura de atos. Sejam 3 ou 4 atos, eles determinam o que vem antes, o que vem depois, na trama. Em linhas gerais, é o básico “começo, meio e fim”, “introdução, desenvolvimento e conclusão”. De Aristóteles em “Poética” a Syd Field em “Manual do Roteiro”, muitos autores estudaram os atos de uma história e criaram modelos a ser seguidos.



Seja qual for o modelo, em todos eles o que caracteriza o primeiro ato é a apresentação de personagens. É o momento que os personagens tem para desenvolver sua profundidade que será testada no desenvolvimento da história. Mais do que o sucesso, é o primeiro ato da história que une Rei do Gado, Senhora do Destino, Avenida Brasil e Império.

“Os personagens, principalmente dos programas de televisão, não são nada complexos, dizem exatamente o que estão falando ou sentindo. E isso, é claro, é algo extremamente artificial, eles não têm profundidade ou subtexto, são muito previsíveis e clichês. A audiência não precisa disso, vai entender sem o personagem ter de dizer.” 
– Robert McKee, sobre as novelas brasileiras.

O que explica o sucesso dessas 4 novelas, sem dúvidas, é uma série de fatores. Entre eles, também sem dúvidas, o que diferencia as 4 tramas de muitas outras é a apresentação dos personagens no primeiro ato. Quem assistiu deve lembrar: todas elas trabalharam com flashbacks iniciais ao passado de seus principais personagens, dando vida às suas motivações, drama a seus traumas, realidade à história de seus protagonistas e antagonistas.

Fora da tevê aberta, não é diferente. Quem quiser lembrar de Breaking Bad, as motivações de Walter White só fazem sentido após a explicação de tudo que aconteceu em seu passado.

Mais do que usar o artifício do flashback, histórias como essas provam a importância de personagens bens desenvolvidos, de um universo bem construído. Ou então, como sempre reprisamos por aqui, de um “story” muito maior que seu “telling”. 

Related

OS CONCEITOS DE STORYTELLING 3483301181859771454

Postar um comentário

Comentários
0 Comentários

emo-but-icon

Lançamento

item