Sansa Stark e O Porquê da Frustração Com o "Black Wedding" - Uma Análise


A estréia mundial do episódio S05E06 de Game of Thrones, no último domingo, embora tendo sido um sucesso mundial, teve uma recepção muito dividida dos fãs – enquanto alguns acharam o episódio brilhante como todos, muitos não ficaram felizes com o rumo do enredo tomado na série. No twitter, temos como prova milhares de posts sobre o descontentamento geral dos fãs. Claro que não é necessário apontar que a cena em questão é o final do casamento de Sansa e Ramsay, finalizado com uma cena de estupro que o consumou.


Mas por que toda essa frustração da parte dos fãs? Muitos discordam e dizem, inclusive, que é uma cena cabível dentro de tudo que já ocorreu na série até esse ponto. Pois bem. Contudo, existem motivos muito válidos pra essa frustração geral. Os porquês são alguns, e seriam os seguintes:


I.     Fidelidade

Sim, a série é só BASEADA nos livros, e não é uma recriação deles. Mas não torna a frustração menos digna: houve uma mudança drástica no rumo da personagem Sansa que, desde o início, preocupou os fãs que sabiam o que acontecia com a esposa de Ramsay no livros. E por mais que a cena tenha sido fiel ao livro quanto aos acontecimentos (embora o estupro envolva outra personagem), não era necessária na série – se foi possível mudar o rumo de Sansa por completo, qual seria o problema de poupá-la desse momento? Como ele adiciona algo à história? Qual seria a relevância?


II.     Relevância

Tudo que George R. R. Martin escreveu e fez acontecer na série teve um porquê. Toda morte, todo sofrimento, todos os acontecimentos eram pontuais e importantes pro desenrolar da história. Em screenwritting, quando se faz uma personagem de uma história passar por uma dificuldade, essa dificuldade geralmente é justificada, e é importante pro desenvolvimento de caráter do personagem, amadurecimento, etc. Caso contrário, a situação é vista como sofrimento gratuito, que torna a história apelativa, especialmente no caso de histórias contadas em séries ou filmes. Não se "castiga" um personagem gratuitamente, isso também empobrece o enredo.


Pra ilustrar melhor: A morte de Robert Baratheon, por exemplo, teve seu porquê, pois foi o gatilho necessário para a Guerra dos Cinco Reis e da busca da conquista do trono, que é o enredo principal da série. A morte de Ned Stark foi o ponto de partida das histórias de todos os Starks até agora, causando o enfraquecimento de Winterfell, e fazendo com que Bran Stark descobrisse seus “poderes” e fosse em sua busca, que é vital no futuro da série (sem spoilers, claro).

Mas vamos focar na morte de Robb Stark por um momento. Sua morte, pra história, significou não somente um maior enfraquecimento de Winterfell, mas também deu um motivo para os espectadores odiarem os Bolton por sua traição. E é aí que o estupro de Sansa se torna irrelevante – Ramsay já é detestado por sua personalidade, por suas atitudes, por seus feitos. Não havia necessidade da cena final para que odiássemos o mais novo Bolton, ele já era detestável. Os espectadores já o odeiam, e Sansa já o odeia.




III.     Desnecessário

Como dito anteriormente, a cena não adicionou muito pra história de Ramsay, e muito menos pro enredo que o envolve. Mas e pra Sansa? O acontecimento não teria sido importante pro seu desenvolvimento? Afinal, agora ela tem uma chance de amadurecer e (mais um) motivo pra odiar Ramsay, manipulá-lo, e se vingar!

Então... não necessariamente. Voltando um pouco na questão da relevância de acontecimentos numa história, temos que avaliar o seguinte: todo acontecimento em Game of Thrones é o começo de um arco na história ou o fim de um arco. Sempre. No caso do desenvolvimento de Sansa, o arco de seu crescimento e amadurecimento é muito claro. Ela começa como a menina ingênua, egoísta, e iludida sobre o mundo, sonhando com seu casamento com Joffrey (que acabou sendo um sadista e cruel com ela) e com sua vida como rainha. E depois de sofrer com a morte de praticamente toda sua família (ou como ela pelo menos pensa), vemos a personagem parar de se iludir com pessoas e entender que nem todos são confiáveis (lembra do sofrimento justificado?). Quanto mais o tempo passa, mais vemos Sansa se tornar a personagem do final da quarta temporada, que sabe manipular, sabe em quem confiar, sabe se impor, e sabe quando não agir e observar apenas.


Vemos isso continuar no início da quinta temporada, na sua desconfiança na primeira pessoa que aparece que diz querer resgatá-la, quando Brienne se aproxima dela. Inclusive, até no próprio episódio de seu casamento ela demonstra sua maturidade e esperteza ao expor Myranda, além de mostrar seu amadurecimento numa personagem independente quando ela mostra não se sentir ameaçada por Myranda em suas tentativas de deixá-la insegura.

Portanto, chances de amadurecer Sansa já teve, tomou essas oportunidades, e teve amadurecimento, seu arco já estava no fim. Não havia, de modo algum, a necessidade de “mais uma oportunidade” como essa. Ela já desconfiava de Ramsay, já o detestava, e com certeza já tramava em sua mente algo para enganá-lo, ou para ao menos não se prejudicar tanto. O estupro só a traumatizou mais, mesmo já amadurecida, ponto. Ramsay poderia tentar quebrá-la de várias formas que poderiam ser modos dela amadurecer mais ainda. Mas não, os escritores da série optaram pelo comum, e já anteriormente acontecido, estupro.


IV. Clichê

É, estupro não é incabível ou inesperado na história, pois não é novidade. E esse é outro problema com a escolha dos escritores. A necessidade de reduzir o amadurecimento ou poder de muitas personagens femininas da série à sexualidade delas é algo recorrente, and it’s getting old. Temos Daenerys que só se tornou dominante e decidida depois de “dominar” Khal Drogo sexualmente; Melisandre, que mostra sua superioridade em relação a muitos homens através do sexo, além de tê-lo como ferramenta para seus rituais religiosos (os quais são responsáveis por sua posição de poder – ligação entre poder e sexualidade); Cersei, que domina seu irmão fortemente através do sexo; Ygritte, que desde o início de sua relação com Jon Snow, utilizou de sua sexualidade melhor explorada pra tentar manipulá-lo... os exemplos são inúmeros, e não tem mulher protagonista que se livre da premissa. Mas isso é pano pra manga pra uma discussão futura.


E ainda assim, quais as personagens femininas principais (e fortes) que, até o episódio de ontem, não tiveram sua vida sexual ou amorosa como ponto chave para que se desenvolvessem? As mulheres Stark. Catelyn, Sansa, e Arya eram as únicas protagonistas femininas que não tiveram suas sexualidades ou interesses amorosos abordados como focos no enredo nem ponto de mudança pra história. Quando os escritores escolheram trazer isso para a história de Sansa, tiraram-na do padrão de sua família, fizeram dela a Stark "de fora." Pode parecer algo pequeno, mas fez Sansa parecer mais fraca do que ela é: se fosse Arya, por exemplo, já imaginaríamos uma reação, e o mesmo com Catelyn. Pode-se dizer que foi algo "out of character" pra uma Stark, até.


Meu ponto com essa análise não é dizer que quem não ficou incomodado está errado, claro que não. A questão é que acho que essas certas coisas não foram percebidas e não foram levadas em conta, e são importantes na hora de se contar uma história. E pior, esse determinado momento, tanto nos livros quanto na série, foi focado em apenas uma pessoa: Theon. O objetivo de Ramsay é humilhar e ridicularizar Theon mais uma vez com esse feito. Sansa foi estuprada, humilhada, e desrespeitada em seu próprio lar, e o foco foi em Theon. Além de tudo que há de errado com essa cena, temos a trama e a experiência de Sansa como secundárias nesse momento da história, uma vez que o foco muda pra reação de Theon. Sinto que isso pode ter ajudado a diminuir o "peso" da cena pra personagem, ajudando a maquiar tudo que citei nessa análise, e diminuir ainda mais a importância do que Sansa passa pra própria história dela.




Tendo tudo isso em mente, é válido reavaliarmos o quão justa a cena foi pra personagem que já havia sofrido o necessário pra uma vida toda. É esperado que Sansa vai conseguir se livrar dessa situação bem mais ardilosamente do que fez quando teve de lidar com Joffrey, provando que cresceu e aprendeu o que precisava aprender. No então, o estupro, por esses e outros diversos motivos, não era uma lição necessária.

Related

screenwriting 3442610337498484668

Postar um comentário

Comentários
0 Comentários

emo-but-icon

Lançamento

item