DE VOLTA PARA O FUTURO: Como Uma Boa História Vende





Diversas empresas estão aproveitando o dia de hoje (21/10/2015), teoricamente o dia em que Marty McFly de “De Volta Para o Futuro 2” desembarca de sua máquina do tempo feita em 1985. As campanhas são em diversos formatos, vídeos, posts no Twitter, Facebook, entre outros. Algumas dão as boas vindas a Marty, outras brincam com os produtos e elementos do filme e outras reproduzem o que foi idealizado na história.



Dentre as marcas que utilizaram o contexto do filme para promover seus produtos e serviços estão Toyota, promovendo um novo modelo de carro, alinhado ao carro de ficção, Pepsi lançando o refrigerante do futuro, Ducoco, Submarino, Ministério do Turismo, Lojas Ramsons, Viber, Google Maps, Google Pay, Air France, Nescafé, BMW, Uber, Samsung, Netflix, Tabasco, Paramount, Gobo News, Burguer King, jornal USA Today.


Podemos ver que as marcas estão cada vez mais brincando com o universo ficcional das histórias. Mas o mais impressionante é observar como uma história pode adquirir um forte poder de referência quando bem contada. O filme de Volta para o Futuro Parte 2 foi lançado em 1989. Possui duração de uma hora e quarenta minutos e é apenas mais um filme dentre os milhares de outros filmes lançados na época. Ainda assim, 26 anos mais tarde, todos ainda lembram de referências mostradas dentro da narrativa, de seus personagens e o que eles estavam fazendo, quais eram seus propósitos e conflitos.

Esse engajamento conseguido através do Storytelling não é facilmente alcançado. Por esse motivo, muitas marcas consideram pegar carona em uma história já bem desenvolvida um meio mais fácil de promoção. No entanto, diferentemente das histórias, essas ações pontuais são passageiras, pois não fazem parte do universo criado, apenas estão anexadas a ele.


É por esse motivo que surge a segunda opção, a criação de conteúdo com uso de Storytelling por parte das empresas. Algumas marcas já conseguiram realizar essa tarefa com sucesso, como a Coca Cola, por exemplo que já possui todo um universo ficcional construído, que permeia seu conceito estratégico e fortalece o relacionamento com seus stakeholders.

Para utilizar o Storytelling é preciso entender como construir uma narrativa, quais elementos utilizar e entender o que faz sentido para sua audiência.  Tudo isso sem cair em armadilhas que podem transformar sua história em uma historinha e afastar seus consumidores ao invés de aproximá-los. 

Quer aprender fazer Storytelling com S maiúsculo? No nosso curso, além de apresentar a teoria da Storytellers, fazemos também exercícios práticos que dão forma a suas ideias.


Nosso próximo curso será dia 7 de Novembro, no Rio de Janeiro. Acesse:




Related

storytelling de volta para o futuro 1777556015097437597

Postar um comentário

  1. Sera que em 2029 vão lembrar do Swasnegger?(ou sei la como escrevem o nome dele)

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Lançamento

item