Vá em paz, Conde

.
O Blog Action Day movimentou a blogosfera em sua última edição, realizada na semana passada. Pra quem não sabe, o intuito da ação, criada pelo australiano Collis Ta’eed, é influenciar e promover reflexões em milhares de leitores de blogs acerca de temáticas recorrentes a todos nós. Esse ano o tema foi pobreza.

Pois bem, dessa vez os resultados parecem ter sido menores que os do ano passado, mas não deixam de ser animadores. Mais de 12 mil blogs produziram uma média de 14 mil posts, atingindo uma audiência de mais ou menos 13 milhões de leitores.

Ok, debater é excelente, mas em tempos de eleição, a pergunta que mais interessa é a seguinte: e aí, como é que toda essa teoria vira prática?

Em algum ponto da história, mais precisamente na complexa Rússia do século XIX, houve alguém que, mesmo nobre e rico, saiu do blá-blá e partiu para a ação. Estou falando de ninguém menos que o Conde Lev Nikoláievitch Tolstói.

Qual foi sua contribuição para o mundo? Estupendas obras literárias, como Guerra e Paz e Anna Karênina, só pra citar as mais conhecidas. Mas Tolstói fez muito, muito mais por nós. Suas opiniões sobre temas como teologia, ciência e política, por exemplo, despertaram o interesse de um certo advogado indiano, um tal Mahatma Gandhi, que inspirou-se nas palavras e pensamentos do autor para fortalecer os princípios de sua revolução.

Mas não é preciso ir até à Índia para conhecer seus feitos pela educação e pelo social. Bem ali, em Iásnaia-Poliana, onde morava, Tolstói dedicou parte de sua vida a cuidar da educação dos filhos dos camponeses.

Criou uma escola para seus mujiques e uma metodologia muito particular de ensino. Ele não acreditava muito nas obras pedagógicas de sua época, achava que eram “por demais preocupadas com esquematizações e didatismos e de menos com os reais interesses das crianças que - de acordo com ele, deveriam ser despertadas para uma aprendizagem participante e criativa”.*

Tolstói não cobrava faltas nem exigia provas. Não havia lição de casa nem chamada oral. Ensinava as coisas simples e importantes da vida da maneira que todos nós, desde os primórdios, aprendemos, ou seja, por meio de histórias. Dê só uma olhada:

A rã e o leão
Um leão escutou uma rã coaxando e se assustou, pois pensou que fosse um animal grande, gritando daquele jeito. Ele ficou à espreita e viu a rã sair do pântano. O leão esmagou-a com a pata e disse:
- De agora em diante, não vou me assustar sem antes ver o que é.

O macaco e as ervilhas
Um macaco andava com as mãos carregadas de ervilhas. Uma ervilha caiu no chão; o macaco quis pegá-la e derrubou todas. Então, ficou bravo, espalhou as ervilhas e saiu correndo.

Estudar era uma atividade lúdica, uma diversão. Assim como era para Monteiro Lobato, de certa forma, aqui no Brasil.

Quando Tolstói morreu, as cartilhas já estavam na trigésima edição, com tiragem de cem mil exemplares cada uma, tendo seus contos sido traduzidos em diversas línguas. Em carta enviada a uma prima, Tolstói disse que “se duas gerações de crianças russas, desde os filhos da realeza até dos camponeses, aprendessem as primeiras letras em sua Cartilha e dela recebessem as primeiras impressões poéticas, ele poderia morrer em paz”. Dito e feito.

*Para saber mais - Contos da Nova Cartilha - Liev Tolstói

PS: Agradecimento especial ao professor Samuel Titan Jr, que deu a dica do livro, assim como para Aurora F.Bernardini, autora do prefácio do mesmo.
PS2: Um ex-aluno de Tolstói, Vassíli Marózov, retribuiu o ensinamento de seu mestre escrevendo um livro que conta a vida dos estudantes em Iásnaia-Poliana.
PS3: Além dos contos maravilhosos e folclóricos, fábulas, descrições e histórias verídicas, há várias adivinhações no livro de Tolstói, como esta: "Come depressa, mastiga bem, não engole e não dá pra ninguém”. Pense bem. Resposta nos comentários.

Related

storytelling 387958127568071865

Postar um comentário

  1. Adivinhei errado! Achei que era o forno à lenha...

    ResponderExcluir
  2. E isso aqui, o que é? "Pequeno e valente, foi pra frente; a terra furou, um chapéu encontrou"

    ResponderExcluir
  3. Vassíli Marózov!!! este!!não sabia do livro dele!!! legal saber!! e gostei também de seus PS,PS1,PS2...
    Ursula, agradeço sua visita e seu hiper relevante comentário!! Eu desejo muito que vc continue por muito tempo na blogosfera!! pelo menos até ela deixar de existir!!rstrsrsss...
    Abração e volte sempre!! AAA!! vou postar algo dessas cartilhas no blog do SARAU!! sarauxyz.blogspot.com E se quiser enviar textos seus pra que eu poste lá!! legal!!! aí faço um MODOLINKAR com seu blog!!
    (este eu inventei!não sou um Tolstoi!!mas também invento!!)
    abração e boa noite!
    Nadia Stabile

    ResponderExcluir
  4. "Pequeno e valente, foi pra frente; a terra furou, um chapéu encontrou"
    ???????????????????????

    o que é?

    ResponderExcluir
  5. Pois é, Nadia, também não sei... Seria um cachorro procurando por trufas? Seria uma semente virando uma árvore?

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Lançamento

item