A Morfologia dos Contos de Fadas

Vasillisa and the Baba Yaga by Biffno

Quando falamos de estrutura de narrativas a primeira e mais famosa que vem a nossa  mente é sem dúvida a Jornada do herói do norte-americano Joseph Campbell.  Apesar de funcionar bem conectando os conflitos do personagem ao leitor ela não é a única que existe.

Em 1928 o teórico russo Vladimir Propp, publicou "A Morfologia dos Contos de Fadas", na qual estabelecia os elementos narrativos básicos que ele havia identificado nos contos folclóricos russos.


Basicamente, Propp identificou 7 classes de personagens ("agentes"), 6 estágios de evolução da narrativa e 31 funções narrativas das situações dramáticas.

 As classes de personagens arquetípicas e podem ser a base para construção desses contos. Também podemos fazer um paralelo entre eles e algumas figuras importantes da jornada descrita por Campbell como o mentor. Veja as 7 classes de “agentes”:

Os personagem são divididos segundo sua esfera de ação:
1ª Esfera – O Agressor – o que faz mal;
2ª Esfera – O Doador – o que dá o objeto mágico ao herói;
3ª Esfera – O Auxiliar – que ajuda o herói no seu percurso;
4ª Esfera – A Princesa e o Pai – não tem de ser obrigatoriamente o Rei;
5ª Esfera – O Mandador – aquele que manda;
6ª Esfera – O Herói;
7ª Esfera – O Falso Herói.

Já as 31 funções narrativas das situações dramáticas podem ser vistas nesta tabela (em inglês) abaixo:




Pra saber mais, sugiro que procurem a obra original conhecida no Brasil como "A morfologia do conto maravilhoso" - mas aviso que não é uma edição tão fácil assim de encontrar nas livrarias.


Related

ANÁLISES DE STORYTELLING 6960553511744086547

Postar um comentário

Comentários
0 Comentários

emo-but-icon

Lançamento

item