Spotify: como usar o serviço de música digital para inspirar sua história



O processo criativo é individual e muitos autores defendem seu aspecto caótico.  Apesar disso ele pode ser direcionado... inspirado.  Boa parte da inspiração para as cenas que Quentin Tarantino cria em seus filmes , por exemplo, é proveniente das músicas que ouve.  E ele não ouve pouca música, o diretor dispõe de um quarto só para guardar as centenas de CDs e discos de vinil que ele coleciona desde a sua adolescência.

Mas nem todo mundo tem um quarto cheio de referências musicais clássicas de várias épocas.  É aí que um bom serviço de música digital pode ajudar na hora de criar sua história. Neste post vou dar algumas dicas que eu pratico usando o Spotify. 


A biblioteca do Spotify tem músicas para todos os gostos e isso é ótimo quando estamos embarcando em um mundo não habitual: E se quiser escrever cenas de um Pub Europeu que apresenta uma banda celta? Ou se você é autor de terror e quer sentir a "vibe" da cultura sertaneja para um curta metragem?  Pra isso vai a primeira dica:




Crie uma Playlist para cada projeto


Qual é o gênero da sua narrativa? Bem, comece por aí.  No Spotify é possível encontrar dezenas de trilhas sonoras de filmes e games.  Eu vou escutando cada uma, procurando nas músicas a porta para aquele sentimento que tento evocar no texto.  Nem todas cabem, as que dão certo entram para a playlist. 

Por vezes seu projeto vai gerar mais de uma playlist. Já aconteceu de usar determinadas músicas para inspirar minhas cenas de ação e outras para trazer emoção aos diálogos em momentos cruciais.  Abuse disso!  Por que não escolher uma trilha sonora para seu personagem? 


Se você não tiver ideia alguma de onde começar, o spotify tem uma ferramenta poderosa, que dispõe de playlist prontas e ranks de músicas mais ouvidas. 




Sério, a imersão em um mundo diferente, pode ser uma barreira enorme para escritores iniciantes. Você precisa saber aonde esta pisando e aliando imagens com músicas você poderá se transportar para dentro da ação. 

Em um dos meus  novos contos, (ainda não publicado) até a escaleta, tudo parecia estar perfeitamente definido.  Eu sabia que iria começar a cena narrando em terceira pessoa a situação do protagonista - uma forma que escolhi de apresentar seu novo conflito já que ele era conhecido da história passada.  Sentei na frente do notebook com todas minhas anotações, passei um tempo olhando as ilustrações que havia pesquisado sobre o storyworld, coloquei o fone de ouvido, fechei os olhos e fiquei uns minutos absorvendo tudo.  

Minha frequência cardíaca pareceu se acelerar e quando minha retina tocou a luz novamente, o que nasceu do encontro dos meus dedos com o teclado foi uma cena em primeira pessoa, explicando toda a emoção que o personagem sentia naquele momento. 


Quando a sua publicação estiver finalizada vai ser interessante compartilhar com seus leitores a trilha sonora que ajudou a construir sua história.   Mas isso é assunto pra um outro post  este que nosso amigo Tiago Cabral já disponibilizou aqui 


Tem alguma dica para compartilhar? Deixe aqui nos comentários. E para conhecer o spotify acesse spotify.com




Related

música e storytelling 8999790371466113050

Postar um comentário

Comentários
0 Comentários

emo-but-icon

Lançamento

item