O STORYTELLING NA CAPA DO JORNAL

Quando nos referimos ao uso do storytelling como “a última esperança” para captar a atenção do consumidor, ainda que nossos exemplos sejam predominantemente mercadológicos, não podemos nos esquecer de que a falta de atenção não é característica do ser humano só enquanto consumidor, mas enquanto indivíduo inserido na pós-modernidade.
Por assim dizer, temos que o storytelling surge como caminho não só para a comunicação publicitária, mas para a comunicação em geral – o que inclui outro grupo de graduados em comunicação: os jornalistas. Para explicar aqui, brevemente, como o storytelling poderá (e deverá) ir parar nas capas dos jornais, proponho um paralelo com a história da propaganda.
Há muitos e muitos anos atrás, num lugar não muito distante, a publicidade se limitava a anúncios que transmitiam as qualidades de um produto. Eternizados pela voz imperativa do “Compre!” e “Experimente!”, os chamados anúncios “hard sell” dominavam a propaganda e a cabeça de seus criadores com uma fórmula pronta.
Entretanto, com o passar do tempo, o inchaço comunicacional, dentre outros motivos, começou a diminuir a eficácia com que estes anúncios funcionavam, obrigando assim os publicitários a repensar a forma com que anunciariam seus produtos. Nascia aí o que é conhecido como “soft sell”.
Para o jornalismo a história não é diferente nos dias de hoje. As múltiplas telas e as redes aumentam gradativamente a dispersão dos espectadores até na hora das principais manchetes do dia. Por um lado uns buscam cada vez mais o sensacionalismo, a “Bomba!” que, se não pode ser chamada de “sell”, não é mais que o imperativo “hard tell”. Por outro, um caminho, que por conveniência aqui podemos chamar de “soft tell”, é o storytelling como forma de comunicar cada dia mais efetivamente a notícia (story) através da narrativa (telling).

O “soft tell” para o jornalismo, ou seja, o storytelling aplicado às páginas de jornais não é de todo novidade. Que diga o “new journalism” nos anos 60. Mas só quando mais fórmulas forem quebradas é que teremos mais narrativas eternizadas e leitores atentos ao noticiário.

Related

storytelling 631287632576104104

Postar um comentário

Comentários
0 Comentários

emo-but-icon

Lançamento

item